MERCADO

Mais de 40% das ICOs fracassam após quatro meses, diz pesquisa

Tempo de leitura: 1 minuto

As mais de 4 mil ICOs que foram lançadas desde janeiro de 2017 arrecadaram juntas cerca de US$ 12 bilhões. Um número bastante significativo, mas um estudo realizado por uma universidade americana indica que a maioria delas fracassou após quatro meses do início de suas atividades.

De acordo com levantamento realizado por uma equipe da Boston College, em Massachussetts, 44,2% das ofertas iniciais de moedas estavam ativas no quinto mês após o seu lançamento.

Eles analisaram a intensidade com que os projetos era mencionados no Twitter durante o período. Ativos que não eram citados na rede no quinto mês após seu lançamento eram declarados mortos pelos autores do estudo.

De acordo com a pesquisa, das 694 ICOs que não arrecadaram capital e não eram listadas em nenhuma bolsa, 83% estavam inativas depois de 120 dias. Já as 420 que levantaram algum capital mas não foram listadas, 52% ficaram indisponíveis no período. E das 440 ICOs que eram listadas e arrecadavam valores, 16% não estavam mais disponíveis no quinto mês de existência.

Conheça a CoinBene

Segundo os pesquisadores, as empresas vendem seus tokens durante as ICOs com descontos significativos no preço de abertura do mercado, gerando um retorno médio de até 179% para os seus investidores.

Eles concluem que, embora os números possam indicar bolhas em torno de ICOs simbólicas, eles também mostram que pode haver altas recompensas para os investidores que aceitam o risco de investir em plataformas não comprovadas em ofertas não regulamentadas.

COMPARTILHAR
Notícias relacionadas
Cotação da Record (RCD) registra alta acentuada nesta quinta
Howdoo (UDOO)
Você precisa conhecer o UDOO, o mais novo token do nosso portfólio
FundRequest (FND): o paraíso de código aberto