ANÁLISE DE ESPECIALISTA

Bancos Centrais de Moedas Digitais (CBDCs) e Criptomoedas: Analistas sugerem coexistência

Tempo de leitura: 2 minutos

Em uma rodada de entrevistas sobre moedas digitais realizadas no Reuters Global Markets Forum na semana passada, analistas, gestores de fundos e especialistas do setor apontam para uma tendência na qual as moedas fiduciárias e criptoativos devem coexistir junto ao desenvolvimento das CBDCs.

Uma pesquisa publicada em janeiro deste ano pelo Bank for International Settlements, mostrou que cerca de 90% dos bancos centrais estão trabalhando em suas próprias moedas digitais, algumas das quais podem ser emitidas nos próximos três anos.

Meltem Demirors, diretora de estratégia da CoinShares – uma das maiores empresas de investimentos digitais da Europa com US$ 5 bilhões – disse: “As moedas digitais do banco central (CBDCs) não são estruturalmente diferentes das fiduciárias, de fato são muito complementares e não competem entre sí.”. Demirors disse também que “o valor do Bitcoin reside em seu fornecimento limitado em contraste com a promessa do FED dos EUA de continuar imprimindo e gastando mais dólares americanos.”

Kevin Kelly, chefe de macroestratégia global da empresa global de pesquisa de ativos digitais Delphi Digital, disse que espera que os CBDCs melhorem os sistemas monetários tradicionais por meio de uma transmissão mais fácil da politica fiscal, ao mesmo tempo em que auxiliam os mercados de criptomoedas a preencher a lacuna entre as finanças tradicionais e descentralizadas (DeFi).

Conheça a CoinBene

“Os CBDCs provavelmente fornecerão o meio preferido para realizar pagamentos digitais sem eliminar os tokens existentes”, disse Vytautas Zabulis, diretor-gerente da empresa de soluções de ativos digitais H-Finance. “Vejo isso como uma limpeza de todos aqueles que não são realmente necessarios no mercado”, reiterou Zabulis.

“Os países com sistemas fiduciários menos maduros poderão utilizar os CBDCs como mecanismos de pagamento e armazenamento”, disse a conselheira geral do banco de ativos digitais e custodiante da Anchorage Digital, Georgia Quinn. “Nos últimos 18 meses, o FED imprimiu 40% de todos os dólares em circulação (o que significa que você possui um valor sujeito às politicas monetárias e fiscais do governo dos EUA”, acrescentou.

Everett Milman, analista de criptomoedas e metais preciosos da Gainesvile Coins Inc., disse que enquanto houver interoperabilidade entre os CBDCs e a infraestrutura existente de criptomoedas, haverá um meio termo onde ambos possam coexistir.

Alguns bancos centrais, incluindo o Reserve Bank of Australia, estão explorando o desenvolvimento de formas tokenizadas de CBDCs em uma plataforma baseada na rede da Ethereum.

 

 

Fontes: Reuters Global Markets Forum – reuters.com

COMPARTILHAR
Notícias relacionadas
Bitcoin rumo aos 11.000 dólares 🚀
Anúncio da BAKKT mexe com a cotação do Bitcoin
Boom do Bitcoin: atenção para possível correção