MERCADO

Senadores americanos pedem sanções mais fortes contra o Petro

Tempo de leitura: 1 minuto

Senadores norte-americanos buscam mais sanções contra o ativo digital venezuelano Petro, como ordens para proibir cidadãos dos EUA a fornecerem softwares ao governo da Venezuela para difundir o criptoativo do país sul-americano.

O projeto de lei é apoiado por nove senadores americanos, e declara que todas as transações em moedas ou tokens digitais para o governo da Venezuela após janeiro de 2018 sejam proibidas.

Para os parlamentares, o ato visa “fornecer ajuda humanitária ao povo venezuelano” para promover uma solução constitucional e democrática para a crise econômica, além de enfrentar a corrupção, o tráfico de drogas e a lavagem de dinheiro no país sul-americano.

Para Jerry Brito, diretor-executivo da Coin Center, entidade voltada à questões políticas relacionadas a criptomoedas, a tentativa da Venezuela em emitir seu próprio token não é nova, mas não é suficiente para ajudar o país a escapar das sanções.

Conheça a CoinBene

A venda pública oficial do Petro está prevista para começar em 5 de novembro.

COMPARTILHAR
Notícias relacionadas
Operações em rede do BTC crescem, apesar de mercado em baixa
Operações em rede do BTC crescem, apesar de baixa em 2018
Plataforma e token ADD prometem realizar seu desejos
Tudo o que você sempre quis saber sobre a Electroneum (ETN)